cr-capa

Chromatics: Kill For Love (2012)

Hoje temos continuidade a mais um artigo de indicação musical e de quebra com o último trabalho da banda Chromatics. Sobre o álbum anterior deles e para conhecer mais dessa banda “moderna com cara de oitentista“, clique aqui.

Kill for Love (Matar por Amor) foi o quarto álbum lançado pela banda Chromatics em 2012. Com mais de uma década na ativa, a banda de Ruth Radelet já foi pós-punk, se estabilizou no indie rock e, hoje é um misto do italo disco, synthrock e synthpop.

Capa do álbum Kill for Love

Em seu quarto álbum, a banda apresenta um som mais maduro, mais soturno e melancólico, conforme pode ser até mesmo visto no título do álbum. Com letras unindo sentimentos não correspondidos, a noite, sentimento de amargura e um pouco de amor platônico dá-se a receita de Kill for Love.

O álbum todo lhe entrega uma sensação de esperança (ou seria falsa esperança?!) ao mesmo tempo que lhe deixa também com uma sensação de perda, com faixas marcadas pelo silêncio no vocal, ecoando a batida eletrônica ao fundo. O ambiente anos 80 está também presente no álbum, assim como a voz suave de Radelet em algumas músicas, Adam Miller canta em somente duas faixas. O álbum também fez parte trilha sonora da terceira temporada da série Twin Peaks (2017), no qual inclusive a banda fez algumas participações especiais.

Da esquerda para direita: Adam Miller, Ruth Radelet, Johnny Jewel e Nat Walker de costas.

Das músicas que pessoalmente destaco do álbum são: Back from the Grave, suave e talvez a mais “alegre” do álbum, essa faixa gruda na cabeça; The Page, com belos toques de guitarra sem deixar de lado o synthpop; Lady, uma das faixas mais dançantes deste trabalho, além de ter um ótimo som dos instrumentos a faixa também fez parte da trilha sonora do filme Drive (2011); Birds of Paradise, uma das duas faixas compostas por Radelet (a outra foi The Page), a sensação de amor perdido e busca sem sentido se intensifica aqui; At Your Door, com sua batida marcante bem nostálgica e sua letra marcam presença; The River, encerrando o álbum com melancolia da mesma forma que começou.

Kill for Love foi produzido por Johnny Jewel e gravado pela Italians Do It Better. Você que curte nostalgia mesclados com um pouco de modernidade, feche os olhos e deixe que a música lhe conduza.

Ruth Radelet – voz, guitarra, sintetizador
Adam Miller – guitarra, vocoder
Nat Walker – bateria, sintetizador
Johnny Jewel – teclado, programação

Kill for Love

1 – Into the Black – 5:23

2 – Kill for Love – 3:58

3 – Back from the Grave – 3:43

4 – The Page – 3:36

5 – Lady – 5:08

6 – These Streets Will Never Look the Same – 8:37

7 – Broken Mirrors – 7:04

8 – Candy – 2:30

9 – The Eleventh Hour – 3:28

10 – Running from the Sun – 7:07

11 – Dust to Dust – 2:41

12 – Birds of Paradise – 4:26

13 – A Matter of Time – 5:06

14 – At Your Door – 3:53

15 – There’s a Light Out on the Horizon – 4:45

16 – The River – 6:10

 

Zanella é cristão, marvete, nintendista, fã do Foo Fighters e rpgista. Encontre-o também no nerdprofeta.com

  • Paulo Jr

    Gostei.
    O cover da musica do neil young ficou show!

    • Essa é uma de algumas bandas que comecei a ouvir recentemente e estou curtido muito. Ansioso pelo álbum novo deles, estava previsto para ano passado mas adiaram sem data definida. Ainda não ouvi a versão original do Into The Black com Neil Young, vou procurar aqui!