Banner TV

TELEVISÃO – QUAL MODELO COMPRAR? HDR / OLED / QLED, EXPLICAMOS TUDO!

Ta afim de comprar uma TV, mas não sabe qual? Também pudera né, a oferta de TV’s hoje em dia no mercado é tão grande, que ficamos perdidos em meio a diversas informações. E o pior: muitas delas erradas. Daí você decide tentar procurar um artigo bacanudo nas internets, mas muito deles são meio complicados de se entender. É tanto Full Hd, 1080p, 4k, HDR, LCD, LED, OLED, QLED, que as pessoas se veem em meio a praticamente uma equação matemática, em que precisam eliminar as variáveis e encontrar o X.

Mas pra sua sorte, você caiu aqui neste post. Eu, que não sou expert, mas adoro o tema e gosto de pesquisar sobre, vou tentar explicar pra você de um jeito mais fácil, pra você entender melhor o que cada tecnologia possui e poder assim, julgar qual a melhor TV que vá de encontro às suas necessidades. Bora colocar a mão na massa, vamos lá?

[Resolução da Tela]

Muitas pessoas confundem resolução de tela (HD, FULL HD e 4K) com tecnologia empregada na TV, como LCD, LED, OLED.

Você já sabe que as TV’s tem formato retangular, assim, elas são medidas em largura (horizontal) e altura (vertical).

1

Desse modo, chegamos à resolução da tela, que nada mais é do que composta por inúmeros quadrados pequenos que compõe a imagem, chamados de pixels. Sabe quando você abre uma foto no computador e acaba por dar um zoom nela, até que a imagem fique tão grande que você enxerga vários quadrados na tela? ISSO, ESSE É O PIXEL.

Assim, esses pixels são dispostos nas linhas horizontais e verticais da tela. Portanto, a resolução nada mais é que a contagem de pixels existentes em cada linha e em cada coluna da TV. Vamos aos exemplos?

TV CRT (Cathode Ray Tube), ou, TV Tubo de Raios Catódicos é a nossa boa e velha TV DE TUBO. Sabe qual é a resolução daquelas TV’s? 640 x 480. Assim, as TV’s do passado tinham 640 pixels em cada linha horizontal e 480 pixels em cada linha vertical (coluna). Além disso, nós costumamos dizer apenas a quantidade de pixels em cada coluna, quando nos referimos à resolução de TV’s. Assim, os televisores de tubo teriam resolução de 480, 480i e 480p.

“Vish, mas daí tu complicou. Eu já estava entendendo finalmente o que é uma resolução, linhas e pixels e você vem mais com esse termo “i” e “p”. Que diabos é isso?”

Calma amiguinho, vou explicar. O “i” e o “p” nada mais é que a tecnologia empregada nessas linhas. Quando temos uma TV com resolução X(i), quer dizer que as linhas de resolução na tela são entrelaçadas, ou seja, elas aparecem na tela por vez, primeiro as ímpares e depois as pares. Assim, metade das linhas aparecerão por vez, apagarão, e em uma fração de segundos depois, a outra metade irá aparecer. Por isso dizemos que na realidade ela tem a metade da resolução real, pois as linhas NÃO APARECEM TODAS DE UMA VEZ NA TELA AO MESMO TEMPO.

Já a resolução de TV com a letra ”p” ao final, quer dizer padrão progressivo, ou seja, todas as linhas de resolução aparecem AO MESMO TEMPO NA TELA.

Mesmo sendo QUASE imperceptíveis a olho nu e em cenas estáticas, a resolução progressiva é superior a entrelaçada, pois em imagens com movimentos muito rápidos, pode-se perceber uma piora nas TV’s “i” por ter esse atraso no aparecimento da metade das linhas na tela.

Bom, entendido o que é resolução, pixels, linhas na tela e resolução com linhas entrelaçadas e progressivas, vai aí a lista padrão de definições de televisões, da menor até a maior resolução de imagem:

  • TV’s de Tubo: 640 x 480 pixel = 480i e 480p;
  • TV’s HD (High Definition) ou Alta Definição: 1280 x 720 = 720i e 720p;
  • TV’s Full HD (Full High Definition) ou Alta Definição Completa: 1920 x 1080 = 1080i e 1080p;
  • TV’s 4K ou Ultra HD (Ultra High Definition) ou Ultra Alta Definição: 3840 x 2160 = 2160p (não há mais versões com linhas entrelaçadas a partir desta tecnologia)

Então você já sabe, as novas Tv’s 4K e UltraHD’s possuem 4 vezes mais o número de pixels em tela do que as TV’s Full HD’s (2x 1920 e 2x 1080). A qualidade destas TV’s é absurdamente incrível. Porém ainda há bastante espaço no mercado para as TV’s Full HD.

Saiba que há ainda muitas TV’s HD’s (720p) no mercado, com preços animadoramente baratos. Contudo, os anúncios gostam de esconder a resolução da tela. Assim, você compra achando que é uma TV Full HD e acaba pegando um aparelho com resolução HD. Atente-se a isso, pois muitos dos anúncios nada dizem a respeito, você tem que olhar no campo de especificações técnicas e ver quais linhas de resolução as TV’s possuem.

descrição

Como você leu esse artigo e está craque, verás que se a TV possuir 1280 x 720 no campo resolução de tela, será apenas HD (as vezes vem a sigla HD também). Não que seja ruim, mas estamos bem mais avançados tecnologicamente do que isso. Portanto, cuidado.

Já nas 4K’s, um detalhe bastante benéfico é adquirir em tamanhos grandes, de 55 polegadas pra cima. Por que isso? Como a quantidade de pixels em uma tela 4K é absurdamente grande, numa tela menor esses pixels ficariam tão esprimidos que poderiam não oferecer a qualidade total que a resolução 4K pode chegar. Portanto lembre-se, quantidade maior de pixels exige um painel maior para melhor disposição dos pixels em tela.


“Quanto maior a quantidade de pixels maior deve ser tamanho da tela”


Agora, se você se empolgou com a tecnologia 4K (e deveria, porque é maravilhosa), há mais coisas que você precisa saber antes de tomar uma decisão de qual comprar. Essa decisão envolve as tecnologias das TV’s, ou seja, LCD, LED, OLED e QLED. Vamos a elas?

[Tecnologias da TV: Do LCD ao OLED]

As primeiras TV’s no mercado (pós TV’s de tubo e sem considerarmos a tecnologia de plasma neste artigo) foram as TV’s de LCD (Liquid Crystal Display) ou Tela de Cristal Líquido. O nome já diz tudo, ela possui a presença de cristais líquidos na composição das telas.

Esses cristais são prensados por duas chapas e colocados depois de algumas camadas de materiais. Geralmente são postas depois de um filtro polarizador e uma proteção de vidro. A última camada do televisor consiste em um painel de iluminação, pois somente com a incidência de luz sobre todas as camadas, é que se forma a imagem.

Essa iluminação traseira é chamada de RPTV (Real Projection Television) ou Televisor de Projeção Real, é feita com lâmpadas fluorescentes. Elas são espessas e levam mercúrio na composição.

3

Depois surgiu a tecnologia LED, que é bem semelhante a LCD.

As TV’s de LED mantém a camada de cristal líquido, bem como o painel de iluminação na última camada. A diferença? Como o próprio nome já diz, ela agora utiliza lâmpadas de LED (Light Emitting Diodes) ou Diodo Emissor de Luz ao invés de fluorescentes.

Esses diodos são menores que as lâmpadas fluorescentes da LCD, o que reduz a espessura do aparelho. Somado a isto, chegam a consumir 40% a menos de energia elétrica que a tecnologia anterior.

As vantagens das TV’s de LED não param por aí. Elas ainda têm uma melhor regulagem de luz, o que evita oscilações de brilho e alterações de cor durante as transições de cenas. O cristal líquido acaba por filtrar melhor as luzes emitidas pela lâmpada de LED, o que aumenta ainda a qualidade final de imagem, se comparadas com as TV’s de LCD.


“LCD utiliza pequenas lampadas fluorescentes para iluminar a tela, enquanto a LED utiliza lampadas de led”


Passando à OLED(Organic Light Emitting Diode) Diogo Emissor de Luz Orgânica, essa TV possui tecnologia de painel com dispositivos feitos a partir de átomos de carbono.

A grande sacada dessa tecnologia é que ela dispensa o painel de iluminação, pois os pixels iluminam-se sozinhos devido à passagem de corrente elétrica em substâncias eletroluminescentes.

Na realidade, mais painéis (não só o último) são eliminados com essa tecnologia, fazendo com que as TV’s OLED sejam as mais finas do mercado.

Em comparação com a tecnologia LED e LCD, a OLED alcança um nível de contraste muito superior, oferecendo a cor preta absoluta. Sabe quando você vai ligar sua TV de LCD ou LED, a tela continua preta, mas você percebe que a TV está ligada, pois a imagem clareia, tornando o que era preto total em um “quase cinza”? Então, com a OLED, por exemplo, você não saberia identificar se a TV está ligada ou não, justamente porque os pixels da tela irão somente se luminar caso haja alguma imagem. Se não possuir imagem na tela, os pixels mantem-se desligados. Diferente da LCD e LED que há, a todo o momento, luz sendo emitida do último painel para a tela.


“A Tv OLED dispensa o painel de iluminação, pois os pixels iluminam-se sozinhos. Uma Tv mais fina e com maior qualidade na imagem”


Outro fator superior destas TV’s é o ângulo de visão. Nas OLEDS, a pessoa pode se sentar em qualquer posição, dentro dos 180º ao redor da TV, que não perceberá mudanças na cor, brilho e contraste.

A tecnologia do material OLED possibilita também as desenvolvedoras criarem telas mais flexíveis e leves, em formatos curvilíneos, permitindo uma maior diversidade de formatos.

Em termos de gastos com energia elétrica, a OLED é ainda mais econômica que a tecnologia LED. O único ponto fraco, porém, é que a vida útil das TV’s OLED’s é de aproximadamente 14 mil horas de uso, praticamente a metade da vida útil das tecnologias anteriores. Já existe, desde 2013, a tecnologia iOLED que, através de um método de alteração da ordem das camadas internas da TV, permite que a vida útil delas aumentem consideravelmente. Esses modelos, no entanto, ainda não foram lançados no mercado.

Como essa tecnologia é dominada pela empresa LG, e que tem grandes vantagens com relação às outras tecnologias disponíveis, houve o lançamento de uma tecnologia rival de uma empresa também rival na disputa pela melhor TV existente, a QLED (Quantum Dot Light Emitting Diodes) ou Diodos de Emissão de Luz em Pontos Quânticos  ou  da Samsung.

Essa tecnologia funciona praticamente igual à tecnologia LED, porém com algumas diferenças.

Ao invés de usar LED’s brancos no painel de iluminação, a QLED optou por utilizar iluminação azul. Essa decisão melhora a captação pelos filtros de cor, capaz de produzir cores mais bonitas.

A camada frontal da QLED também se alterou, trocando os cristais líquidos por nanocristais de diferentes tamanhos (menores que um fio de cabelo) envoltos por ligas metálicas, formando os chamados pontos quânticos. Isso gerou melhores ângulos de visão e contraste, com relação à tecnologia LED. A vida útil da TV QLED é superior à OLED.

As vantagens de uma QLED sobre a OLED são os menores preços  e a taxa de brilho da imagem, que é maior.

Já em desvantagens, ela não possui o preto absoluto, por ainda possuir uma luz na parte traseira acessa durante todo o tempo em que a TV está ligada. O ângulo de visão nas QLED’s parece sofrer bastante com as mudanças feitas na TV, uma vez que, dependendo do ângulo em que você está sentado, perderá qualidade em cor e brilho.

 “TA, MAIS E A COM A TECNOLOGIA 4K, O QUE EU PRECISO SABER?”

Bom, agora que você já é quase um phD em televisão com esse artigo, preciso te falar uma coisa importante sobre a TV 4k.

Muitos querem essa TV somente pela alta taxa de resolução da tela (o que realmente é o maior atrativo), mas muitos esquecem que a tecnologia 4K veio também com outro fator muito importante, o HDR.

“AAAH, EU JÁ VI ISSO ESCRITO EM ALGUMAS TV’S. TODO MUNDO FALA DISSO, MAS EU NÃO FAÇO IDEIA DO QUE SEJA”.

Para isso que estou aqui amigo, vamos lá!

O HDR (High Dinamic Range) ou Grande Alcance Dinâmico é uma tecnologia empregada às novas TV’s 4K, tecnologia essa já existente em câmeras fotográficas profissionais.

Com essa tecnologia, os tons escuros da imagem na tela ficarão mais escuros, enquanto os iluminados serão mais iluminados. As cores se tornam mais vivas e mais presentes, com seus tons respeitados e maior destaque na composição.

É uma tecnologia que gera uma taxa de contraste entre as cores absurda, dependendo dos pontos de iluminação em que os objetos da imagem estão.

“AH, MAS MINHA TV TEM UM FILTRO QUE DEIXA TAMBÉM AS CORES MAIS FORTES, E MAIOR CONTRASTE”

Amigo, filtro nas TV’s (modo Esporte, Cinema, Jogos, etc) servem somente para “florear” a imagem. Pode ficar bonito em uma primeira olhada, mas se você prestar atenção, filtros acabam por distorcer todas as informações da tela, deixando tudo bem longe do que seria a imagem original.

Aqui não, o HDR não é filtro. Ele faz com que a tela passe uma imagem bem mais próxima da realidade, com taxa de contraste e precisão na reprodução das cores.

Bom amigo, aí é que entramos no assunto: Qual TV é melhor para 4k?

Se considerarmos somente a resolução 4K, tanto a OLED, quanto a QLED, até as LED’s podem te proporcionar esse aumento grande de resolução.

Porém, como eu havia dito, a tecnologia 4K oferece também, o HDR.

Aí, o buraco é mais embaixo.

TV’s de LED NÃO CONSEGUEM EMITIR O HDR VERDADEIRO.

Isso mesmo que você leu. E sim, eu sei, há várias propagandas de TV’s de LED com HDR. Porém, não passam apenas de filtros ou gambiarras utilizadas para tentar criar o efeito desejado.

Por que isso?

Simples, como o HDR exige uma alta taxa de contraste, justamente pra ter a correta diferenciação de cores e tonalidades de um objeto na imagem, somente a tecnologia OLED conseguirá entregar o HDR verdadeiro.


“HDR não é filtro, oferece imagens mais realistas e só pode ser encontrado (atualmente) em TV’s OLED”


Imagine assim: Uma imagem em que aparece o sol iluminando uma rocha. Há partes da rocha iluminadas, e há partes em que a iluminação vai diminuindo, até partes da rocha onde não há qualquer iluminação, com tons mais escuros. Como as LED’s possuem iluminação em toda a tela, o tempo todo, ela não te mostrará o contraste real das partes iluminadas com as menos iluminadas da rocha. Agora, como as OLED’s não possuem essa iluminação constante na tela toda, sendo que os pixels se auto iluminam conforme a imagem requer, o contraste entre as partes iluminadas e menos iluminadas da rocha será muito mais preciso. Eu sei, pode parecer um detalhe bobo se pensado sobre isso. Mas amigo, esse contraste acontecendo na tela toda, a todo momento, evidenciando a diferenciação e reprodução mais precisa de cores, dá uma diferença considerável no resultado final.

Devo alerta-los que o HDR verdadeiro tem o nome de HDR10. Por isso que as TV’s de LED se utilizam de nomes parecidos como forma de marketing, como HDR100, HDR1000, Ultra HDR, Super HDR, etc. Não se engane. Isso tudo é filtro de imagem e não vai te dar o resultado que o verdadeiro HDR daria.

E com relação às QLED’s? Bom daí a história muda, um pouco. Como em suma, as QLED’s são feitas em plataforma LED, elas teriam o mesmo problema com relação a HDR10. Porém, como a tecnologia QLED permite muito mais brilho e contraste com relação às LED’s, estas  conseguem entregar algo realmente muito próximo ao HDR10. MAS, ela sofre um pouco AINDA por ter a iluminação traseira de LED ligada o tempo todo, o que faz com que a TV sofra um pouco mais com a diferenciação de cores e contrastes.



Com isso, podemos traçar as vantagens e desvantagens das tecnologias OLED e QLED.

OLED

QLED

Vantagem

Altíssima taxa de contraste, altíssima qualidade de reprodução de cores, leve, flexível, HDR10, preto absoluto, amplo campo de visão.

Alta taxa de contraste, alta qualidade na reprodução de cores, alta qualidade de brilho, mais barata que OLED, maior vida útil que OLED.
Desvantagem

Preço alto, tempo de vida útil menor que QLED.

HDR10 não tão eficiente quanto a OLED, não possui preto absoluto, ângulo de visão prejudicado.



Bom, depois deste longo artigo, agora cabe a você decidir qual TV comprar. Se a grana estiver curta, mas mesmo assim queira comprar uma TV4k e não for tão exigente quanto a todas as tecnologias que a TV pode apresentar, as LED’s lhe atenderão bem. Caso o dinheiro esteja sobrando (o que eu espero) vá de OLED que, em termos de qualidade de imagem, é superior a todas as tecnologias disponíveis no mercado. Agora, se o dinheiro está sobrando (mas não tanto para adquirir uma OLED, mas pra uma QLED) vá de QLED mesmo, pois a imagem oferecida pela TV da Samsung possui uma excelente qualidade de imagem.

No final, o que vai ditar sua escolhe, será o que você estará disposto a pagar. Pelo menos agora, você tem informações técnicas que podem dar suporte a sua decisão.

Espero que este artigo lhe dê melhor base no entendimento das TV’s e que possa, com a informação dada, saber escolher a TV exata para você. Agora, é só chegar nas lojas e dar um banho de informação sobre televisores nos atendentes (hahaha). Brincadeira!

  • Paulo Jr

    Muito bom o artigo!

    Um detalhe na hora de comprar essas TV’s é que muitas vezes anunciam TV LCD como LED.
    Há uns 4 anos atrás cai em um anúncio desses e comprei a TV. No final ela me serve muito bem até hoje, mas levar algo diferente do que pensei frustra bastante.

    Fui tapeado!

  • Ivo

    Se tivesse lido essa matéria antes de comprar minha TV =(
    Ela sofre com INPUT LAG =( Isso é MUITO CHATO para jogar certos consoles e principalmente antigos. Mas de qualquer forma uma ótimo artigo Dark Logan! Passando aqui para outros amigos lerem! Grande Abraço!

  • Visio

    Porra! Ficou detalhado pra caraleo o artigo! Parabéns!

    @disqus_BdqE9sOotd:disqus e @ivo_ornelas:disqus são dois exemplos clássicos de como você pode ser dar mal comprando um TV sem pesquisar bem antes.
    Foda é que não precisava ser tão difícil assim =/

  • hbeira

    Grato pelo detalhamento do artigo 😉

    Mas é verdade que os videogames antigos ficam legais na 4K? Acho que vi no Cosmic Effect que sim, mas não lembro se precisa do Framemeister.