visiotaputobanner

Enganados Pela Nostalgia

A Nostalgia é uma das experiencias mais bacanas que podemos experimentar ao jogarmos games antigos. É muito gratificante poder reviver clássicos da nossa infância/juventude e ter uma sensação de voltar no tempo, com uma visão mais madura sobre a mesma situação de outrora. 

É bacana demais, porém, porra, como podemos nos enganar tanto em alguns casos? Takipariu! As vezes você busca um jogo por dias/meses/anos, sem ter muitos detalhes sobre o jogo em questão, sua busca se torna uma odisseia, quase um dos 7 trabalhos de Hércules, mas enfim você encontra o desgraçado! Ali está! Forasteiro! Seu jogo! O jogo que você tanto procurou, com algumas pequenas imagens passando pela sua mente, lembrando de poucos detalhes, mas caramba, como o jogo era bonito! É aqui que começam os problemas…

O cérebro humano é incrível! Uma máquina capaz de grandes coisas, inclusive de te enganar de um jeito que só ela conseguiria! É foda pra caraleo! Você imagina seu jogo de uma maneira muito melhorada! Seu cérebro parece um idiota, lembrando as coisas com muito mais glamour do que realmente havia. O jogo era normal, mas você se lembra dele como sendo sensacional, até você por as mãos no game e ver que na verdade não era tão sensacional assim… Pode ainda ser bom, render horas de jogatina, mas, em alguns casos, o jogo está tão diferente do que você esperava que chega a ser uma decepção.

Daí é foda! Você se sente um idiota! Tanto tempo procurando pelo jogo e agora que encontrou não consegue jogar mais do que 5 minutos! Qual o motivo de você não lembrar dos defeitos do game? O que acontece com seu cérebro? Ele está querendo ferir seus sentimentos? Merece uma facada?

sim

Não é a toa que a maldita nostalgia já foi até considerada doença no século XIV! Primeiro pelo fato de que a Nostalgia é uma situação em que você sente falta de algo, mas seu cérebro idealiza aquele momento como sendo algo fantástico! Algo que realmente faria a diferença na sua vida se acontecesse agora. Em algumas situações de forma tão exagerada que faz com que a pessoa persiga esse momento de maneira nada saudável. Por isso que as vezes o jogo que você procura não é tão bom quanto você imagina, pois você está sob o efeito da nostalgia, que já te fez aumentar tanto suas expectativas que, quando chegar a hora de jogar o jogo, você pode facilmente se decepcionar. E aí meu amigo, o choro é livre!

Esse risco é real, acontece, já aconteceu comigo com um game muito foda da época do Mega Drive. Porra! Procurei pra caraleo saporra! Muito mesmo! Desde a época em que a internet não era nada popular no brasil, ainda no final dos anos 90, procurando na lista de roms que eu tinha no meu PC de jogos do Mega Drive. Era um jogo que eu sabia poucos detalhes, havia jogado pouco, em uma locadora de vídeo games. Eu lembrava que o personagem saltava em nuvens, quebrava umas estatuas pequenas e tinha um parceiro que lembrava muito uns inimigos de Super Mario Bros 3 (Nipper Plant). Só isso, sendo que não sabia o nome da tal Nipper Plant e não sei se isso ajudaria na busca…

Enfim, procurei demais e encontrei o game há uns 7 anos atrás, mais ou menos. Pensa na alegria desse desgraçado aqui! =D

Sorriso de orelha a orelha (Bônus: fale várias vezes a palavra orelha rapidamente), felicidade estampada no olhar, rom baixada com sucesso e enfim eu colocaria as mãos no game que eu mais procurei na vida! Injetei a rom no emulador e pimba! O jogo começou! Eu tinha certeza que era esse jogo logo na primeira imagem que encontrei na internet, mas mesmo assim me parecia um estranho… tipo um parente que você tinha pouco contato, mas ele mudou de cidade, ficou anos fora e quando retorna você chega até a reconhecer o filodapulta, mas não é a mesma coisa… Foi assim como o jogo. Porra! Que decepção maldita! Eu jogava o game e me lembrava de detalhes que meu cérebro havia escondido, talvez ele tivesse me poupando de uma decepção e eu, teimoso que sou, ao invés de aceitar esse presente em forma de memória agradável, quis reviver a experiencia! Bicho burro! 

magical-hat-no-buttobi-turbo-daibouken-j-004
Magical Hat é o nome do jogo

Joguei por alguns minutos e desliguei tudo. Apaguei as luzes de casa e fui dormir. Era o que me restava. O jogo é bom, não é ruim não, mas eu pensava que era muito melhor. MUITO! Pensava ser o jogo da minha vida, mas na verdade era o jogo da minha nostalgia. São duas coisas diferentes! 

Depois de dar tudo errado nessa busca, com a realidade não atendendo minhas expectativas, eu decidi que iria parar de procurar games antigos me baseando em nostalgia… mas não consigo! Eu sempre busco mais, parece que vicia saporra! Dias atrás eu assisti He-Man! Xinguei pra caraleo! Como eu pude gostar de assistir saporra!? Desenho horrível rapaz! Takipariu! Meu cérebro me enganou de novo! ¬_¬

he-man-jon-chu-camp

Você já passou por isso? Experiencia ruim ao buscar um jogo ou desenho ou brinquedo da sua infância e que quando pegou em mãos viu que não era nada daquilo que você imaginava? Sim? Troxa! Se ferrou! Igual a mim!   =/

Mas conte sua experiencia aqui, deixe nos comentários, quero rir da sua cara e tentar levantar minha auto estima, já que a nostalgia faz questão de me mostrar o quanto eu sou facilmente enganado por mim mesmo!

Criador do Portal 2 join, ama os games! Jogando desde os primeiros anos de idade, naquela que considera a melhor fase da sua vida, quando ainda bebê, usando a famosa rotina do "come, caga e dorme". Bons Tempos!

  • Memória mais recente que tenho disso foi com Earnest Evans, também do Mega Drive. Lembrava do jogo legal pra caramba, alugava toda hora, jogava pra caramba. Fui botar no emulador e quase pari um demônio chifrudo de tanto ódio que senti em 6 minutos de jogo aproximadamente.
    Provavelmente esse aí era uma das sobras da locadora e eu acabava alugando pq tinha cenas meio que de anime, mas vai saber.
    Dá muita tristeza perceber que nosso cérebro nos enganou.
    Ótimo texto, Visio! Continue puto!

    • Visio

      ” quase pari um demônio chifrudo de tanto ódio que senti” HAHAHAHAHAHAHAHAHAH Até engasguei aqui hahahahahaha porra velho hahahahahahahaha

  • Paulo Jr

    Recentemente descobri o nome de um game do N64 que me lembrava pouquíssimo, mas sabia que o jogador tinha sido atacado enquanto “passeava de carroça” kkkk. Após o ocorrido o gameplay iniciava dentro de uma cela e lembrava que o game tinha um estilo sombrio, personagem era fraco e tinha de escapar da prisão.

    Sempre tive vontade de jogar pra valer e ver qual era daquele jogo… o jogo é o ShadowGate 64 e pqp como o game está horroso! as animações totalmente lentas e com texturas fracas mesmo para o padrão do N64 em 1999.

    Desisti de jogar na hora por causa da decepção, mas quem sabe um dia?
    Ao que parece o jogo é bom.

    • Visio

      O loko! Você descreveu o jogo e eu já saquei qual era. Adoro Shadowgate 64, tem um clima muito sombrio, solitário e todo sofrimento de um Roguelike que me deixava puto na época!
      Teve uma vez, jogando sem memory card, que eu havia progredido um monte no jogo e então decidi testar e utilizar um dos itens que eu havia pego. Escolhi testar um anel. O anel era poderoso pra caraleo! Muito foda! Tão poderoso que me matou instantaneamente! Takipariu! Voltar para o começo do jogo foi sofrível…

      • Paulo Jr

        Então, eu exagerei um pouco 😛
        Mas em certos cenários o visual envelheceu mal, mas talvez seja algo intencional dos devs.

        Me lembro que quando joguei pela primeira vez, morri por algo que até hj não sei… Acho que foi um corvo, só escutei o granido do bicho que me deu um susto na hora kkkk

        • Visio

          Os jogos da época do Nintendo 64 eram estranhos mesmo =P
          O jogo tem disso, muita coisa te mata do nada, você é frágil demais. Fora que é assustador em algumas partes…

    • hbeira

      Fui tapeado! 😛

  • Ulisses 8 Bits

    Evito ao máximo pensar sobre um jogo pela nostalgia, aliás minha relação com jogos antigos é quase zero nostalgia. Eu jogo eles porque são bons até hoje, gosto de jogá-los, o fator nostalgia é quase sempre ruim quando associado ao ato de jogar. Mas já me decepcionei com alguns jogos também. Acho que acontece um conflito com a visão de criança e a nossa visão atual sobre o jogo. As vezes nem é a nostalgia a culpada, somos nós que mudamos nossas expectativas sobre o game durante o tempo. Quer dizer, o jogo nunca muda, o que muda é o jogador. Daí acontece esse conflito que chamamos nostalgia mas pode ser apenas um conflito de expectativas mesmo. O seu, e o do seu eu no passado. É por isso que a gente não brinca mais de carrinho (carece de fontes), brinquedos são diferentes de jogos de videogame. Os primeiros estão sujeitos ao tempo. O videogame não necessariamente.

    • Visio

      Fala Ulisses! Tudo certo por aí?
      Pode ser que seja isso mesmo. Estamos sempre mudando, mas algumas mudanças são sutis. Evoluímos nosso paladar, nossa extensão vocal, capacidade de concentração, discernimento e, logicamente, uma visão mais madura sobre o mundo que nos cerca. Aos poucos deixamos de ser quem éramos na época do “antigo eu”.
      Assim como também pode ser uma simples tapeação cerebral. Sabemos que nosso cérebro não se cansa de nos pregar peças. É de conhecimento comum que mais de 70% das nossas ações no dia a dia são consideradas instintivas, automáticas, mesmo quando parece que estamos lidando seriamente com algo. Nada impediria nosso cérebro de criar memórias altamente melhoradas, simplesmente para corroborar algum momento de difícil adaptação que estamos passando na vida, nos trazendo um sentimento de que é possível melhorar, pois no passado já foi melhor ou então, o inverso, onde as coisas nunca mais voltariam a ser as mesmas.

      O típico: É do inferno que se vê o paraíso.

      Mas não faço ideia, apenas fui evoluindo a linha de raciocínio e não vou nem ler de novo para não me frustrar hahahahaha

      • Ulisses 8 Bits

        A mente tem umas coisas estranhas mesmo. Lembra daquela experiência de botar as mãos uma em água fria, a outra em água quente e depois colocar as duas em água morna? Uma vai sentir a água morna bem mais fria que a outra mão. Quando eu jogo um game de Play 2 e rapidamente volto ao Play, os gráficos ficam “feios”, mas depois de um tempinho tudo volta a ficar lindo. Eu adoro polígonos quadradões. Mas tem gente que não gosta. Eu fico perdido nestas imagens comparando frames de vários consoles de ponta. Parece quase tudo a mesma coisa.

        • Visio

          Bem citado! São nas limitações que as invenções mais criativas ganham vida!
          Eu lembro dessa experiência sim e toda vez que to lavando uma louça nesse frio incrível aqui do Sul eu me lembro dessa experiência hahahaha

  • Ivo

    Eu tenho mudado o pensamento de jogar certos jogos ou tentar REVIVER todos os jogos que acham espetaculares no passado justamente por me decepcionar. Isso aconteceu comigo em um jogo de SNES do Yuyu Haskusho. Nossa! como eu amava esse jogo e me divertia com ele, mas uns meses atrás resolvi jogar e fiquei absurdamente decepcionado com ele. O jogo envelheceu muito malz, jogabilidade ruim e cia. Isso abriu o pensamento e ideia que certos jogos é melhor deixar só na lembrança como ÓTIMOS jogos e não reviver e jogar eles para não se decepcionar. Tenho criado isso com vários casos.
    Eu sei como é bom reviver a nostalgia em jogos que nos fizeram feliz no passado, mas certas coisas é melhor deixar no passado como lembranças BOAS.
    Ótimo texto Visio! Esse assunto dá para levar MUITO LONGE em conversas futuras!
    Grande Abraço!

    • Visio

      Valeu Ivo! O negócio é saber lidar com a frustração, pois uma hora ela te acerta em cheio.
      As vezes eu simplesmente mudo de opinião. Jogo tal era ótimo, joguei novamente e achei um lixo, então não era ótimo. Minha ignorância, falta de conhecimento no assunto, que me fazia ter uma visão limitada sobre o game. Controles ruins? Eu me adaptava. Gráficos ruins? Eu nem ligava pra isso. Trilha sonora péssima? Baixava o volume e já era. Parece que o objetivo era apenas me divertir a qualquer custo e isso incluía ignorar defeitos. Quando revisitamos, usamos uma abordagem diferente. “Vamos ver se era bom mesmo!” Já começa por aí, não é mesmo?

  • hbeira

    Fui tapeado!

    • Visio

      Hahahahahaha