guerraconsole

A DOENÇA NA COMUNIDADE GAMER

Já faz muito tempo que existe a guerra dos consoles,  mas hoje com a 8ª geração parece que a guerra tomou rumos maiores e mais perigosos .

maxresdefault-8-1

Com a popularidade da internet, nós estamos na primeira guerra mundial de consoles, onde fanboys de consoles se escondem atrás do monitor para criticar e humilhar jogadores que não tem os requisitos mínimos dito por eles. Mas além dos que ficam no anonimato, também existem aqueles que fazem questão de mostrar o rosto e sua bandeira propagando a guerra e o ódio entre plataformas, muitas vezes denegrindo outras empresas e mentindo a favor da sua.

mario_v_sonic.0.0

A guerra de fanboys hoje chega a rumos extremamente doentios, incluindo ameaças, perseguições e até mesmo casos de crimes de violência física. Antigamente era comum ver torcidas organizadas de times de Futebol se degladiando, mas hoje estamos a ponto de ver isso acontecer com caixistas contra sonystas ou nintendistas. As comunidade de games estão ficando cada vez mais tóxicas graças a fanboys doentes, de fanatismo cujo objetivo não é jogar vídeo game e sim desmerecer a plataforma do outro.

04170746257400

Se fanáticos já não tinham desculpas demais para tirar o titulo de Gamer de alguém, hoje eles tem algo que usam mais do que a própria cueca: Gamescore para os caixistas ou troféus para os Sonystas, que servem como um “currículo gamer”. Um exemplo pra deixar mais claro:

ws-Halo

Você esta la jogando seu God of War da vida ou Halo e simplesmente comenta em local publico ou rede social que não gostou muito do jogo. Não vai demorar muito para encher de pedidos para ver seu perfil, e AI DE VOCÊ se não tiver feito 100% do jogo, se não jogou toda a franquia, ou se não joga 22 horas por dia e usa as 2 horas sobrando para cagar e dormir, afinal dormir não desbloqueia conquistas. Simplesmente se você não tiver feito nada disso ou milhares de outras coisas, sua opinião não vale de nada e ainda será taxado de sonysta, caixista, nintendista ou qualquer outro “ista” que existir.

maxresdefault (1)

Pior ainda se for a mídia, pois a mídia não pode dar opinião nenhuma. Se ela falar bem de Gran Turismos é sonysta, se falar de Halo é caixista, se falar de Mario nem contam, porque se a plataforma não tem sistema de conquista você não é um gamer. Ou seja, sua opinião não é nada. Para simplificar mais ainda, se você não for a favor da opinião de um fanboy você está errado e você não é um gamer. Jogar para se divertir não importa aonde for? Que baboseira  é essa?

Hoje pessoas se importam mais com poder de uma maquina ou conquistas do que com jogos. Se importam mais com plataformas do que em jogar, e ainda se denominam gamers. O mais vergonhoso disso é que por incrível que pareça não são só crianças que fazem parte disso.

mobile-game-player

Gamer de verdade joga, não importa aonde for, desde que seja um jogo que ele goste. Não importa se é um FPS ou um Candy Crush da vida, o que importa é gostar de jogar. Não precisa jogar jogos horríveis e mal feitos para ganhar conquista e mostrar seus pontinhos pros outros, fale dos jogos que você gosta, fale por que são bons. Essa guerra inútil só denigre quem realmente gosta de games. Hoje em dia da até vergonha de dizer que é gamer e ser comparado com esses fanboys que não sabem nada sobre vídeo game.

Paz e um bom jogo pra todos, não importa aonde nem como, desde que jogue porque gosta.

Eu sou novo no portal espero que gostem do meu trabalho,gosto de animes, jogos, filmes e series.Gosto de jogos antigos mas meu jogo favorito é Shadow of the Colossus.

  • Paulo Jr

    Já chegamos no fanatismo há algum tempo, pedir e vasculhar a id de outro jogador só é o mais novo capítulo da bagaça. É um ponto em que eu não tenho mais paciência de ver, ignoro completamente.