WP_20160112_15_10_32_Pro

Colecionando Brinquedos Antigos – Cavaleiros do Zodíaco – Parte I

E aí galera! Beleza? Quanto tempo, hein? Depois de uma pausa de alguns meses devido a novos caminhos na carreira, eu retorno com tudo, abordando um novo tópico que fazia tempos que gostaria de apresentar para vocês: A experiência em colecionar brinquedos antigos que marcaram toda uma geração. Nesta série apresentarei minha coleção à vocês e também compartilharei minhas aventuras neste universo tão prazeroso e desafiador. Como sempre digo e com saudades em dizê-lo: “espero que apreciem”! =D

O FENÔMENO DOS CAVALEIROS DO ZODÍACO

1994 foi um ano muito especial para nós, brasileiros fãs da cultura pop japonesa. Em 1° de Setembro daquele ano, em 02 horários, estreava o animê dos Cavaleiros do Zodíaco. Sucesso imediato! O animê superava a audiência das grandes novelas e era reprisado noutros horários! Também não é para menos: a obra, como todos aqui devem saber, é uma das séries mais influentes e importantes da história da cultura pop japonesa, responsável, quase que sozinha, por popularizar o gênero em diversos países onde até então esta categoria era desconhecida, e com isso também foi responsável por abrir caminho para este novo nicho nestas localidades. Inclusive aqui no Brasil, onde vimos uma enxurrada de animês na TV depois que os Defensores de Athena invadiram nosso país!

SAINT CLOTH – A COLEÇÃO DOS BONECOS DOS CAVALEIROS

Como parte do pacote, a Samtoy licenciou a linha de bonecos oficiais dos Cavaleiros, fabricados por nada menos que a Bandai, e os lançou aqui praticamente junto com a estreia da série na Manchete. Vale ressaltar que a edição comercializada no Brasil é a lançada na Espanha. E é por isso que os textos nas famosas caixas amarelas eram em espanhol. Esta série, a “Saint Cloth” era composta inicialmente pelos 05 Cavaleiros de Bronze principais da série (Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão, Hyoga de Cisne, Shun de Andrômeda e Ikki de Fênix) e os 12 Cavaleiros de Ouro. Posteriormente seriam lançados diversos Cavaleiros de Prata e os Generais Marina da Saga de Poseidon.

O sucesso foi tão grande que os bonecos esgotavam do dia para a noite nas lojas! Conseguem imaginar aguardar em uma fila de espera por semanas até poder comprar um boneco?! Mas não era para menos… Além de serem as figuras de ação dos Cavaleiros, eles eram brinquedos revolucionários…

BRINQUEDOS REVOLUCIONÁRIOS

Não, não é nenhum exagero de um fã saudosista. Os bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco foram realmente revolucionários. Eram pequenos, é verdade, com 12cm de altura apenas, mas isso só os tornava mais incríveis em suas características. Além dos rostos de cada personagem ser único e com feições próprias e as armaduras terem peças de metal, a quantidade de pontos de articulação era o detalhe que mais impressionava. Você pode pegar qualquer boneco de outra franquia da época e comparar: eles até eram maiores, mas “duros”, pouco detalhados e com poucos pontos articulados. Toda essa quantidade de articulações permitia à você fazer dezenas de poses diferentes. Peças que se encaixavam no boneco, então… era um luxo de poucos! Leve em consideração que a coleção fora lançada originalmente em 1987, no Japão. E mesmo 07 anos depois eles ainda eram à frente de muita coisa do mercado neste sentido.

A riqueza de detalhes e a grande quantidade de pontos de articulação dos bonecos foram revolucionários na época
A riqueza de detalhes e a grande quantidade de pontos de articulação dos bonecos foram revolucionários na época

Além disso eram lazarentamente lindos: puta que pariu, como esses bonecos são bonitos! Especialmente os Cavaleiros de Ouro, com suas armaduras reluzentes que chegava a ofuscar! E todas aquelas peças! Além disso tudo a caixa era um show à parte: a parte de cima abre com uma tampa de um baú, e você tem um blister e o berço de isopor, com o boneco e sua armadura acomodados de forma simples porém bonita. Uma embalagem não descartável, que servia apenas para proteger o brinquedo, mas ela própria o tornava um item de decoração. Abrir a tampa e apreciar o boneco ali dentro tornava-se parte da diversão, como se estivesse abrindo um baú de tesouro!

As lendárias caixas amarelas: bem detalhadas, cada uma vinha com o personagem do boneco destacado. Portanto cada boneco tinha sua própria caixa
As lendárias caixas amarelas: bem detalhadas, cada uma vinha com o personagem do boneco destacado. Portanto cada boneco tinha sua própria caixa
Pareciam baú de tesouro! De tão bonitas podiam ser usadas como objeto de exposição / decoração.
Pareciam baú de tesouro! De tão bonitas podiam ser usadas como objeto de exposição / decoração
 
Detalhe da parte de trás da caixa: mostrava o personagem em ação, em sua cena de maior destaque e impacto no desenho. Spoiler?! XD
Detalhe da parte de trás da caixa: mostrava o personagem em ação, em sua cena de maior destaque e impacto no desenho. Spoiler?! XD
 
Armadura com peças de metal: brilhantes, bonitas, detalhadas e pesadas. Tudo que um moleque dos Anos 80 / 90 achava o máximo!
Armadura com peças de metal: brilhantes, bonitas, detalhadas e pesadas. Tudo que um moleque dos Anos 80 / 90 achava o máximo!
 
A quantidade de pontos de articulação permitiam dezenas de poses diferentes. Deixá-los simplesmente de pé sobre a mesa também era parte de diversão!
A quantidade de pontos de articulação permitiam dezenas de poses diferentes. Deixá-los simplesmente de pé sobre a mesa também era parte de diversão!
 

Com todos esses detalhes você pode estar pensandoNossa, esses bonecos dos Cavaleiros deviam ser brinquedos perfeitos!“. Bom, quase…

OS “DEFEITOS” DOS BONECOS

Antes de mais nada, devemos lembrar que esses bonecos eram um produto fabricado para as massas, ou seja, tinham um nível de qualidade, sim, mas também seguiam o padrão de qualquer outro produto fabricado em série: o menor custo possível na produção, guardada certo nível de qualidade.

O principal e maior defeito que os bonecos dos Cavaleiros de 1987 tinham era justamente na sua característica mais legal: as articulações. Com algumas semanas de uso as articulações das pernas, braços, pés e tronco do boneco começavam a ficar molengas, até chegar a um ponto que ele ficava completamente mole, sem nem conseguir ficar mais de pé. Outro defeito grave comum dessa série: as peças das armaduras, depois de um certo tempo, simplesmente começavam a não fixarem-se firmemente ao boneco, e justamente as peças de metal, que se encaixavam com pinos no boneco. Agora some esses 02 defeitos e pronto, tá feito o desespero. Você monta o seu boneco com a maior calma, devagar, peça por peça, coloca ele certinho de pé na mesa, chega a prender o ar na hora de soltar… Solta, beleza! Tá ali, lindo, com sua armadura. Daí você, cavalo que é, vai dar um passo para trás, bate na mesa… Pronto! Peça pra todo lado! XD

Aiai... Tô mole de tão cansado de ser jogado para lá e para cá... XD
Aiai… Tô mole de tão cansado de ser jogado para lá e para cá… XD
 

Um terceiro defeito que pode ser citado, mas esse nem dou muita importância: a pintura das peças de metal da armadura descascava. Isso brincando com ele, batendo, ralando pelos cantos do quintal. Agora se você brincava com ele, por exemplo, em cima da cama, no tapetão da sala, sem bater, sem problemas. É equivalente a pintura de um carrinho diecast. O defeito era mais pronunciado nos Cavaleiros de Ouro, em que as peças de metal desbotavam a cor, a ponto de ficarem com aspecto de bronze ou até mesmo prata. Parece até que o cavaleiro foi rebaixado… XD

Em 2003 a Bandai relançou a série Saint Cloth, exatamente os mesmos bonecos, exceto pela caixa, muito mais simples (e na minha opinião bem sem-graça também, dispensáveis). E nessa edição de 2003 a pintura é um defeito sério, mas não nas peças de metal, senão nas de plástico. A pintura simplesmente começa a rachar toda e a cair, como casca de ovo! Mesmo que você não manuseie muito, ela começa a rachar. Pelo menos a pintura nas peças de metal, no caso dos cavaleiros de ouro, permanece firme. Agora na minha opinião pessoal eu não gostei muito do tom do dourado dessas peças, bem diferente da dos de 1987.

Caixa da edição de 2003. Simples e comum, o único detalhe que muda de um boneco de mesma categoria para outro é esta etiqueta colada na frente
Caixa da edição de 2003. Simples e comum, o único detalhe que muda de um boneco de mesma categoria para outro é esta etiqueta colada na frente
 
Verso da caixa da edição de 2003. Ao menos o cor da caixa acompanha a categoria do personagem do boneco dela: bronze, prata e ouro.
Verso da caixa da edição de 2003. Ao menos o cor da caixa acompanha a categoria do personagem do boneco dela: bronze, prata e ouro
 
Cavaleiro de Ouro Afrodite de Peixes da coleção de 2003. Detalhe para os rachados na pintura das ombreiras
Cavaleiro de Ouro Afrodite de Peixes da coleção de 2003. Detalhe para os rachados na pintura das ombreiras
 
Cavaleiro de Ouro Máscara da Morte de Câncer da coleção de 1987. Detalhe para a cor "desbotada" das peças de metal
Cavaleiro de Ouro Máscara da Morte de Câncer da coleção de 1987. Detalhe para a cor “desbotada” das peças de metal
 
Cavaleiro de Ouro Saga de Gêmeos da coleção de 2003. O tom dourado dos bonecos desta edição destoa dos de 1987
Cavaleiro de Ouro Saga de Gêmeos da coleção de 2003. O tom dourado dos bonecos desta edição destoa dos de 1987
 

Porém, ressalto que esses detalhes “negativos” não diminuem em absolutamente nada o brilho e a qualidade desses bonecos. Não tem nem como pesar na balança os 03 defeitos contra as dezenas de “acertos“. Eles foram o sonho de uma geração inteira de crianças nos Anos 90 aqui no Brasil. Marcaram época e o coração de milhares de crianças que hoje, já adultos, sentem até um aperto no peito quando lembram deles. E as novas gerações que não tiveram contato fascinam-se com eles quando veem na internet ou têm a sorte de verem um pessoalmente. E isso sem considerar que são verdadeiras relíquias, tesouros de verdade para nós, fãs apaixonados dos Cavaleiros do Zodíaco! =D

NO PRÓXIMO CAPÍTULO…

No próximo capítulo desta série contarei como comecei e como têm sido colecionar esses maravilhosos bonecos. Apresentarei cada um deles que já possuo, comentando minha experiência na aquisição deles. Abraços! =D

Publicado originalmente no Gamer Desconstrutor

Glefferson é formado Bacharel em Sistemas de Informação e trabalha como Salesforce developer. Ama pilotar drones, é fã de Ramones, Misfits, Heavy Metal e adora dançar as coreografias dos Anos 80. É apaixonado por Jurassic Park, Ufologia e Fuscas. É fusqueiro que participa de encontros sempre que pode. Escreve para o Portal 2 Join e para o Gamer Descontrutor e é membro do 2Join Curitiba. E é um colecionador de videogames e brinquedos antigos longa data, já com 17 anos de colecionismo.

  • Visio

    Cara, eu só conhecia os modelos “piratas” que vendiam nessas lojinhas que eram febre nos anos 90 e que vendiam mercadoria trazidas do Paraguay. Nem sabia que tinham versões originais e bem feitas =P

    • hbeira

      Mesmo pirata era legal poxa! 😀

  • Paulo Jr

    Foda!

    Tenho um primo que até hoje tem a dele super guardada e segura nas caixa, não sei quais e quantos bonecos ele tem, mas sei que devem estar em boas condições. Nunca vi fora da caixa.

    Me lembro que eu tinha um do Shurato, porém muito mais simples que esses do CDZ.
    Eram do ‘”Paraguay” (Melhor país do mundo diga-se de passagem), feitos de borracha e ocos por dentro. Adorava aquele boneco indestrutível, infelizmente não sei o fim dele.

    Lembro de um boneco do mesmo estilo, porém do Ultraseven que perdi numa ida ao banco com minha mãe 🙁 Não lembro como perdi, mas sei que chorei muito no dia kkkkkk

    Mais ou menos esse:
    https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-814758644-ultraman-tiga-power-type-16cm-glasslite-lacrado-anos-80-_JM

    O do Shurato é exatamente este modelo.
    https://http2.mlstatic.com/boneco-hyoga-do-anime-shurato-anos-90-D_NQ_NP_578811-MLB20630071206_032016-F.jpg

  • hbeira

    Nossa… eu tinha uns 14 desses (sendo somente 1 original, era caro :-P), mas o meu irmão quebrou todos. 🙁