Banner-Resident-Evil-Vendetta

[Critica] Resident Evil: Vendetta

Meu primeiro contato com a serie Resident Evil aconteceu quando eu era bem novo, lá por 2000, 2001. Lembro me de estar no meu quarto jogando Smurfs do SNES enquanto meu irmão e meu primo, dono do SNES, foram para a sala jogar Playstation. Eu era uma criança na época, então não estava muito interessado em vê-los jogar, mesmo que fosse um PS1. Lembro que, toda vez que eu saia do quarto para ver o que eles estavam jogando, eles trocavam de jogo. Eles não queriam que eu visse o jogo que jogavam, não por egoísmo ou besteira, mas por que eles entendiam que o jogo não era feito para crianças da minha idade. Isso, é lógico, despertou em mim a curiosidade de ver que raios de jogo era aquele.
Meu pai também jogava videogame, e ele gostava particularmente de Resident Evil, que era o jogo meu irmão escondia de mim. A noite, depois da janta, ele jogava e a gente acompanhava ele, dando dicas, levando sustos, ajudando no que fosse possível. Como não tínhamos memory card, a cada vez era necessário recomeçar o game do início. Eu já “sabia” (no mais puro embromation) todas as falas do jogo, a linha de puzzles que se seguia e os sustos da parte inicial do game. Lembro me que o mais longe que chegávamos era até a Cobra Gigante, e lá normalmente morríamos, sem saco pra começar do início. Eram ótimos tempos.

Eu morria de medo dee game (ainda tenho medo)

Depois disso, joguei o 2, também sem pretensão de zerar, pela falta do memory card, e o 3 em japonês, assim que lançou pra PS1. Só fui zerar Resident Evil quando tive meu N64 e com ele, o segundo jogo da serie. Hoje em dia, só não zerei o RE0, o Code Veronica (por não ter onde jogar) e o 6 (por não ter saco). Mas todos os outros eu zerei. Aim, Outbreak, 1, 2, 3, 4, 5 Remake, Survivor, Revelation, o de Gameboy; todos os que tive oportunidade de jogar eu zerei, muitos eu zerei várias vezes. Ou seja, posso me considerar um fã da franquia.
Assisti a todos filmes do Paul W. S. Anderson, as duas animações anteriores, Damnation e Degeneration, e me lembro de ter gostado bastante da primeira (de 2008) e não tanto da segunda (2012). Agora, em 2017, foi lançada mais uma animação da série: Resident Evil: Vendetta. animação esta que eu assisti ontem e resolvi tirar meu tempo pra dar minha humilde opinião.

                                                             Vendetta Nunca é Plena

A animação começa de uma maneira bem nostálgica: acompanhamos Chris Redfield em uma missão de campo com um time que tem o objetivo de resgatar dois reféns. Essa missão os leva a Mansão Spencer, nas montanhas Arklay, onde ocorrem os eventos de Resident Evil 1. O cenário é muito nostálgico e ver o Chris de novo naquele lugar me encheu de empolgação, e nisso o filme acerta algumas vezes. Ele é cheio de easter eggs e referências que os fãs mais ávidos vão conseguir sacar e até se divertir, mas a diversão para por aí. Resident Evil: Vendetta peca em muitos pontos importantes não apenas para filmes em animação, mas para filmes em geral.

resident-evil-vendetta-3-62d24e31da8e2ff651e74dc764b06cf9

Algo que me incomodou muito durante o filme foi o que eu gosto de chamar de “os zumbis de Schrödinger”, que hora correm como se em Guerra Mundial Z, hora se arrastam como em A Noite dos Mortos Vivos. E você pode se valer do fato que alguns zumbis realmente são mais lentos que os outros, mas não: o mesmo zumbi que a segundos atrás corria igual a um filha da puta, agora se arrasta na velocidade de um cão coçando a bunda no asfalto, tudo pelo bem da narrativa, nada consistente ou plausível (a menos que fosse um zumbi com transtorno bipolar que afetasse apenas a parte que lhe dá vontade de correr, mas isso não é explicado no filme). Fora o fato de que ninguém parece conhecer os zumbis no universo do filme. Os caras tiveram que apagar uma cidade do mapa com uma bomba atômica por causa dos zumbis! É normal que alguns civis não saibam deles, ou não se importem, mas a força tarefa do começo do filme abaixa a guarda contra uma criança que está obviamente possuída pelo ritmo ragatanga. Vocês querem mesmo que eu engula isso?
Outra questão é que me incomodou é que os personagens principais são tratados  como super-humanos em certas ocasiões. Eles sobrevivem a ataque que os outros não sobreviveriam, saem vivos de situações onde os outros morreram, desviam de tiros a queima roupa, voam metros e metros e quando caem não se machucam nem um pouco, fazendo com que o roteiro seja bem inconsistente. Não fica só nisso, é lógico, mas qualquer coisa além seria spoiler, então assista ao filme que você vai entender.
Você pode achar isso tudo muito ódio bobo, e dizer que eu estou sendo chato, mas situações como essa requerem uma suspensão de descrédito gigante pra minha pessoa. É como se você tivesse um vilão de um filme que nunca errasse um tiro – e isso fosse estabelecido no filme – e nas batalhas contra o mocinho, ele não acertasse uma mísera bala. Sabemos que se o mocinho morrer o filme acaba, mas será que os roteiristas não conseguem pensar em uma solução melhor e mais plausível? Fica ai a dúvida.

maxresdefault

Mas o que mais me tirou da imersão do filme foi o fenômeno do vale da estranheza. A animação peca em muitos pontos, parecendo artificial e até mal feita em alguns momentos, o que acabava me distraindo do que acontecia na tela. O filme é um longa-metragem, o estúdio não tem a “desculpa da pressa” por ter que lançar um episódio por semana, como se o prazo não lhes desse tempo pra melhorar e polir a animação. Vocês vão notar isso na movimentação artificial dos personagens, nas poses deles, em como tem momentos em que eles “atuam mal”, mas principalmente na boca e nos cabelos. Não vou lhes dizer que era totalmente ruim, tem momentos em que realmente ela encanta, principalmente no cenário e em uma cena no corredor, no fim do filme (que é uma cena muita foda), mas tem alguns sorrisos do filme que ficaram tão bizarros que tenho certeza que vão me assombrar pro resto da vida.

C7ceutRV4AAtsBA
MINHA EXPRESSÃO DURANTE O FILME ERA BEM PARECIDA COM ISSO

Você pode estar achando a essa altura que eu odiei o filme, mas não é verdade. Ele me trouxe muita nostalgia, e muito conteúdo que o espectador que for fã da série vai adorar. Mas nenhum filme vive só de service, e todo o resto do filme é bem mediano.

                                                         Conclusão:

Resident Evil: Vendetta acaba sendo um filme medíocre, e mais parece um fan film do que material oficial. Personagens com motivações bobas, problemas com a animação e roteiro inconsistente e extremamente genérico e previsível são erros muito grosseiros para se deixar passar, e atrapalham o desenvolvimento do filme, até de um universo cinematográfico, se for isso que eles estiverem buscando. Vale assistir se você for muito fã, e talvez você goste. Se você não for fã, tem muito material de zumbi que é bem melhor ou você pode jogar um dos games que seu tempo será melhor empregado.

NOTA: 5/10

Games sempre foram minha paixão. Quadrinhos são um amor antigo. Cinemas são uma nova amizade, porém verdadeira. Filho, tio, irmão, cunhado e namorado, minha vida se define em 4 letras: Nerd!

  • Ivo

    Fala Lex, beleza? Acabei de baixar esse filme, alias depois de ler seu texto vou assisti-lo. Mas algo já me dizia que não superaria minhas expectativas esse filme. Acho que meu trauma com os filmes reais do RE me deixaram assim. Por mais que tenha assistido, não consigo gostar e vejo uma cena o outra boa, apesar de adorar a franqua.

    Adorei sua história de RE. O RE eu conheci através de um amigo que tinha PSX ele ficou aficionado com esse jogo em revistas, até antes de ser lançado e no final comprou RE original mesmo e com aquela capa feia… lembra da capa RE1 de PSX Americano hahahaha XD As capas do CD´s piratas eram 1000 vezes melhor que ela.

    De qualquer forma, eu vi mais ele jogando que propriamente eu tenha jogado. Na verdade eu só joguei 2 e 3 e o Veronica. Mas conheço todos os jogos da série e sempre acompanhei, mesmo que fosse na leitura.

    Bom, vou lá assistir o filme! Depois vou comentar que achei.
    Grande Abraço. Ivo

    • Alexandre Francisco

      Aquela capa com o cara segurando uma arma na frente? Hahahahaha era bizarro. A versão jpn tinha a cara dum zumbi toda foda e a dos eua tinha um Rambo genérico.

      Assiste lá, e me diz o que achou. Queria saber se fui eu que sou chato ou se e3 ruim mesmo. XD

  • fmrbass

    Eu li RE: Vendetta e já imaginei uma versão zumbi do arqui rival do Goku.
    (é filler, eu sei…)

    • Alexandre Francisco

      Hahahahaha infâmia lvl mais de 8 mil.

  • Uma pena que o filme pecou tanto assim…nunca fui um fã ávido da franquia, joguei alguns dos games, zerei outros, mas não chego perto de você. Filmes eu passei absolutamente longe de todos, pelo fato de ser muito diferente do enredo do game. E infelizmente a própria franquia estava se mostrando cansada, desde o 4 só tinha games mais voltado a ação do terror mesmo, exceto o último o 7 que pelo que vi em muitas críticas parece ter voltado a pegada terror. Resta-nos esperar que a magia do terror (ação tem que ter também, claro mas ao meu ver não o foco) volte também (ou inicie-se dependendo do ponto de vista como o meu por exemplo kkk) nos filmes e animações.