ARMSSI

ATUALIZADO – ARMS Global Testpunch – Testamos de novo!

É isso aí cambada, foi liberado mais um período de testes de Arms, o famoso Testpunch. Como não podia deixar de ser, trouxemos aqui nossas impressões sobre esse segundo momento, com o que rolou nos dias 02, 03 e 04 de junho.

(Para ver as insanidades que dissemos sobre os testes da semana passada, clique aqui)

No primeiro testpunch foi tudo beleza, servers rápidos, conexões sem lag, tudo tranquilo. Conforme as sessões foram ficando mais disputadas o pesadelo começou. Chegou ao ponto que na sessão de sábado 21h eu simplesmente não consegui jogar. Caía direto e não tinha conversa.

Essa semana novamente tivemos quedas. Várias. Muitas.

E lag. Muito. Pra cacete.

Não dá pra ter Lag em um jogo assim, torna a experiência irritante e decepcionante. Ou a Nintendo corrige isso ou teremos problemas como tivemos no lançamento de Splatoon. Resumindo em termos bem técnicos: Tá foda.

Mas nem tudo são espinhos, o testpunch dessa vez trouxe novidades: novos modos de batalha e uma personagem nova. Começando pela personagem, a morena de cabelos gigantes, Twintelle. Aliás, a MORENAÇA de cabelos gigantes, que fique bem claro.

ARMS-Twintelle

Os cabelos da moça são tão grandes que ela os utiliza pra lutar. É curioso como durante as batalhas ela fica praticamente o tempo todo com as mãos na cintura e só os cabelos atacam. Muito criativo, além de que deu um toque de sensualidade de deixar a Bayonetta com inveja. Serião mesmo, não é qualquer personagem que consegue isso.

twintelle

Vou deixar o trailer dela aqui pra galera babar um pouquinho:

O legal é que ficou sensual sem ser apelativo  (até porque não dá pra ficar observando muita coisa com a porradaria rolando). Apesar de ser uma personagem bem equilibrada, eu ainda prefiro continuar com o Ninjara, a Mechanica e o Master Mummy (Ribbon Girl que me desculpe, é linda mas é ruinzinha de lutar…)

Agora, o destaque mesmo desse testpunch passa longe de quadris rebolantes ou pernas longas. O que me chamou atenção foram os modos de jogo disponibilizados:

Novamente tivemos Mano a mano, Deus nos acuda e 2×2, praticamente modos padrão de jogo, mas também foram incluídos:

Tiro ao alvo (cada um fica de um lado da tela e no meio passam vários alvos. Ganha quem acertar mais alvos ou até mesmo o adversário);

Versus Hedlok (três personagens enfrentam uma cabeça com quatro braços que toma posse de um quarto personagem aleatoriamente);

DBT99QvVoAARo8Y

E pra mim aquele que foi de longe o modo mais divertido: o Enterrada. Você e um adversário se enfrentam em uma quadra de basquete e o objetivo não é dar porrada, mas sim agarrar o outro. Cada agarrão mostra a animação do personagem sendo “enterrado” feito uma bola de basquete. Achei simplesmente genial.

Encerrado o último testpunch a minha sensação era de que Arms nasceu pra ser competitivo, que tem cheiro e gosto de E-sportshoje percebo que além de tudo isso ele é um BAITA PARTY GAME!

Deve ser legal demais juntar a galera pra fazer o campeonato de enterradas, por exemplo. Garanto que vai gerar várias risadas.

Arms é divertido, bonito, tem uma trilha sonora cativante e sem dúvidas será uma excelente opção para quem tem um Switch e gosta de variar os estilos de jogo, mas por enquanto só o vejo como um título pra multiplayer local. O Online tá deixando e muito a desejar.

Só espero que a Nintendo não dê uma de João sem braço (pqp, como eu esperei pra fazer esse trocadilho!) fingindo que está tudo ótimo e corrija esses problemas. Ela tem uma semana pra colocar a casa em ordem.

(conforme forem os próximos testpunches nós atualizaremos esse post com as novidades, portanto fiquem ligados.)

ATUALIZANDO:

Os testes de sábado 21h e domingo 09h foram os melhores até agora, tanto em termos de desempenho quanto em termos de disputa mesmo.

Primeiro que sábado tive UMA queda e domingo ZERO QUEDAS. É pra comemorar gritando, meu povo! Não sei se foi coincidência, mas foram dois momentos em que eu estava sozinho em casa sem ninguém mais pra compartilhar a internet e causar uma possível lentidão, mas de toda forma, NÃO CAIU.

Segundo que a galera tá mais afiada nas manhas do jogo e deu uns fecha pau bonitos de ver. Teve desde surras homéricas (de ambos os lados) até empates e ainda disputas muito equilibradas decididas em detalhes. Na primeira semana os adversários iam feito loucos batendo a esmo, agora já rola aquela estudada, esquiva primeiro, bate depois. Novamente o potencial pro lado E-sports aqui ficando mais claro, já que a galera tá levando o jogo a sério.

Dá pra tirar uma conclusão disso? Sim.  Pelo que apresentou até agora, Arms é uma excelente opção para a biblioteca pouco diversificada do Switch. O jogo é bom e arrisco até a dizer que se Splatoon e Smash Bros tivessem um filho seria Arms. Tem várias coisas em comum nos três títulos, como diversão, multiplayer, curva de aprendizado e acessibilidade, apesar de que nesses dois últimos quesitos Arms ainda não é tão amigável, mas nada que impeça alguém que nunca jogou de aproveitar o título.

Que venha a data de lançamento, e torço pra que seja um jogo que venda bastante pra que no futuro receba uma atenção maior da Nintendo e ganhe espaço junto às suas franquias mais famosas.

Fã de Zelda e adepto da Nintendo desde que se conhece por gente. Fora um Atari e um Mega Drive, todos os seus outros consoles foram Nintendo. Nunca teve um Playstation ou Xbox (e nem pretende ter), já que nunca viu motivo para tê-los.

  • Me parece cativante! Mas ainda não me conquistou e creio eu que não irá pegar o status de “queridinho” da Nintendo em relação de esports que é o Splatoon. Posso estar errado né, conforme você disse: a Nintendo tem alguns dias para consertar os empecilhos do online (e aproveitar que só vão começar a cobrar ano que vem) e fazer este game realmente um que pode ser um belo game de luta e party game.

    • fmrbass

      Acho que arms não tira o posto de splatoon até por não estar disputando diretamente com ele, afinal são propostas muito diferentes.

      Mas que é uma franquia muito interessante, não tenha dúvidas.

  • Paulo Jr

    Tai um jogo que ainda não tenho opinião formada, mal parei pra ver gameplays que mostram uma profundidade maior do jogo.

    Mas darei uma de John No Arms e digo que acho o game bem bonito, personagens bem feitos e tem um potencial. Acho que ao invés de um Punch Out!, os devs preferiram dar um passo a mais para colocar os joy cons a prova… Bem, quem sabe?